Livros de Cida Sepulveda



Esse Coração Marginal é duro, cruel e seco, mas pela linguagem você o fez atraente e belo.Um estilo! Desesperador. Que zomba das tiranias semânticas. E renova o nosso idioma.
Te agradeço o presentão.Eu. Admirado. 

Manoel de Barros. 





Li de vereda o seu Overdose. Sempre limpa a sua linguagem e sempre o olhar às pequenas misérias e vilanias do pobre ser humano. Quase que eu achei que o livro deveria se chamar Todo amor tem seu dia de punhal. O livro é toda uma golfada de angústia. Louvo seu olhar sempre voltado para os pobres seres. Quero dizer que, para mim, sua linguagem está mais soberba. Todo amor tem seu dia...Me chegou a impressão de que essa frase serviria também para o título do livro. Fiquei tomado pelas historinhas tão massacrantes de seu livro. Meus parabéns.

Manoel de Barros




O nome de Cida Sepulveda foi o que de melhor ocorreu na literatura brasileira nos últimos tempos.
Deu alento a uma paisagem tantas vezes árida. Este “Fronteiras” mostra a poesia em sua grandeza.
Não e´à toa que ela escreve para abrir seu livro: Escrever é infinito”

Álvaro Alves de Faria
jornalista e poeta.




Recebi e reli o Sangue de romã.Obrigado pelo presente. Acho que você é uma escolha da natureza para ser poeta. Crítico não sou nem sei. Julgo pelo gostar. Suas letras, sílabas e palavras sabem onde ficar nos versos para criar encantamento e harmonia. Sua linguagem tem sabedoria: é enxuta e sem derrames. Você é um estilo. Obrigado por seus mistérios que se eu fosse pintar pintaria. 

Manoel de Barros



Em parceria com a linguista Ângela Kleiman, o livro foi adquirido pelo MEC no Programa Nacional de Biblioteca Escolar – PNBE 2013

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog