O mar, escuta.
A lua, sonha.
Estrelas, suspira.
Inverno sem frio.
Seca a noite sem abraços.
Escrevo, aplaco a compulsão do abismo.
Na solidão, o rosto da mãe brilha, eterno.
E me salva de mim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog